//Cobalto, Medicação controlada pela FEI

Cobalto, Medicação controlada pela FEI

No mundo da equitação o doping é definido como a administração não consensual de fármacos ou outras substâncias não permitidas em animais de competição, a fim de alterar o seu desempenho físico.

Em 2017, a FEI (International Equestrian Federation) estabeleceu o Cobalto como uma substância controlada nos cavalos que realizam competições equestres.

A FEI agrupa as substâncias em dois tipos: medicação controlada, aquela que com uma determinada concentração não é considerada doping, e as substâncias proibidas, aquelas que por presença mínima nas análises sanguíneas ou na urina são consideradas doping.

Os medicamentos pertencentes à lista da Medicação Controlada são utilizados para tratar o cavalo. Mas nas concentrações definidas eliminam-se totalmente do organismo uma vez que o tratamento é concluído, sem deixar nenhum rasto no momento da competição. Alguns desses elementos também podem ser encontrados na alimentação.

O QUE É O COBALTO?

O cobalto é um mineral azulado que se encontra naturalmente na crosta terrestre.

cobalto-polvo

Este mineral é adicionado à dieta do cavalo em pequenas quantidades. A flora do intestino grosso do animal é utilizada para a síntese da vitamina B12 (cianocobalamina) através de um processo de fermentação. Esta vitamina ajuda na síntese das proteínas e no metabolismo dos hidratos de carbono e gorduras.

O cobalto, quando se encontra integrado na vitamina B12 (juntamente com o ferro e o cobre), estimula a formação dos glóbulos vermelhos que participam no transporte de oxigênio para os tecidos. Quanto mais concentração de oxigênio chegar aos músculos, melhor eles podem desempenhar a sua função e maior será o desempenho do animal durante a competição.

QUAL É A DOSE ADEQUADA DE COBALTO?

Na dieta do cavalo é necessário que 0,05 mg por kg de matéria seca sejam adicionados à ração. Ou seja, um cavalo de 500 kg de peso precisa de 0,5-0,7 mg de cobalto por dia.

O cobalto é encontrado nos alimentos e nas forragens em pequenas quantidades. Na forragem aparece entre 0,04 a 0,08 mg por kg de matéria seca. No entanto, essas quantidades podem variar de acordo com a área e com a quantidade de cobalto que está naturalmente presente no solo. E os alimentos compostos geralmente contêm 0,3 a 0,9 mg por kg.

Se os níveis de cobalto descerem podem provocar alguma patologia devido à deficiência de vitamina B12. No entanto, nunca foi o caso de provocar doenças, nem a suplementação alimentar foi considerada necessária. Concluindo que a quantidade deste mineral obtido numa dieta normal é mais do que suficiente para a flora intestinal sintetizar a vitamina B12 necessária para o organismo.

PORQUE SE CONSIDERA MEDICAÇÃO CONTROLADA?

Inicialmente, a ideia de administrar suplementos com cobalto a cavalos de desporto, na dieta ou de forma intravenosa, deve-se ao facto de ter sido usado em atletas humanos durante anos. Nestes casos, tem sido utilizado para produzir um aumento na eritropoiese (formação de glóbulos vermelhos) e para o tratamento da anemia. Portanto, pensava-se que os cavalos também poderiam aumentar a quantidade de glóbulos vermelhos que melhorariam a potência e a resistência do cavalo durante a competição.

Mas um grande número de estudos realizados em 2015 e 2016 mostraram que uma alta dose deste mineral não aumenta significativamente a produção de glóbulos vermelhos. Embora uma sobredose de cobalto no cavalo causaria efeitos adversos significativos.

Demonstrados estes efeitos negativos, devemos destacar um estudo realizado em 2016 a 5 éguas. A estas égua foram administradas doses intravenosas diferentes de cobalto a cada 15 dias. As éguas que receberam as doses mais altas (1,2-4 mg/kg) apresentaram sinais de hipertensão e taquicardia. O resto das éguas que receberam uma dose menor (0,25-1 mg/kg) apresentou uma grande ansiedade.

Assim, a partir da informação obtida nestes estudos, deduziu-se que a administração de uma dose elevada de cobalto não tinha valor terapêutico uma vez que não aumentou a produção de glóbulos vermelhos e o único que poderia ser alcançado com a sua administração era aumentar o risco de danos cardíacos e morte súbita (Burns et al., 2016).

O cobalto está na lista da Medicação Controlada, não porque uma sobredosagem provoca uma melhoria desportiva no cavalo, mas porque pode prejudicar a saúde do animal.

QUE SUPLEMENTOS PODEMOS ADMINISTRAR AO CAVALO PARA AUMENTAR OS GLÓBULOS VERMELHOS EVITANDO O DOPING?

Existe uma grande variedade de suplementos alimentares que podem ser administrados para evitar a anemia e aumentar a energia e a vitalidade do nosso cavalo e garantir que o animal chegue em perfeitas condições no dia da competição.

  • IRON X CELL da TRM é um suplemento alimentar rico em ferro e vitaminas do grupo B que aumenta a formação de glóbulos vermelhos e influencia as funções metabólicas relacionadas com o exercício. Também contém sorbitol, uma molécula que aumenta a concentração de vitamina B12.
  • A FERX, além de fornecer ferro e vitaminas do grupo B, também adiciona cobre à dieta. Este elemento estimula a formação de glóbulos vermelhos no cavalo.

suplementos-sustitucion-de-cobalto

Além dos suplementos de manutenção que são adicionados diariamente à dieta, é aconselhável administrar um reforço de energia no mesmo dia da competição. MULTIPLEX e BIOACTIVE da TRM são boosters em seringa que será administrado durante os dias anteriores e no mesmo dia da competição.

  • BIOACTIVE é administrado antes da competição e fornece pólen de abelhas, L-carnitina e vitamina B12 que ajudarão o cavalo a suportar toda a prova com o máximo desempenho.
  • MULTIPLEX será adicionado na semana anterior ao concurso. Contém uma alta concentração de vitaminas B que aumentará a produção de glóbulos vermelhos e irá melhorar o apetite nos dias da competição.

boosters-para-caballo

By | 2018-02-26T12:58:40+00:00 16 Fevereiro 2018|Sin categoría|0 Comments

About the Author: