//Necessidades nutricionais da égua no último trimestre da gestação

Necessidades nutricionais da égua no último trimestre da gestação

A duração da gestação na égua é de 11 meses e é durante o inverno que a maioria entra no último terço da gestação. Nos últimos três meses há um crescimento do potro de 75%, pelo que as necessidades nutricionais aumentam exponencialmente durante esse período.

QUAIS SÃO AS NECESSIDADES NUTRICIONAIS NO ÚLTIMO TERÇO DA GRAVIDEZ?

No início da gravidez, as necessidades diárias de energia da égua são de cerca de 16Mcal / dia e 630g / dia de proteína bruta. No entanto, a partir do nono mês, verifica-se o aumento gradual desta necessidade até atingir 21Mcal / dia e 898 g / dia de proteína bruta no último mês. Durante a gestação, a égua aumenta o seu peso em torno de 10%.

COMO MANTER AS NECESSIDADES DIÁRIAS DA ÉGUA NO ÚLTIMO TERÇO DA GRAVIDEZ?

A grande demanda de energia devido ao aumento do tamanho do poldro no último terço da gravidez implica que a mãe chegue com ótimas reservas a esse período, e que durante o mesmo sejam fornecidos todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento do poldro de forma a garantir o crescimento e desenvolvimento ósseos corretos.

Além disso, a égua deve sempre ter uma condição corporal aceitável que permita lidar com a gestação. Portanto, protocolos nutricionais devem ser estabelecidos desde o início da gravidez, tendo em consideração que o nível de contribuição energética é maior nos últimos três meses.

Outro dos aspectos fundamentais a serem considerados no desenvolvimento do poldro são os minerais da dieta. As deficiências de fósforo são comuns no último estágio da gravidez, enquanto as de cálcio são mais comuns no primeiro estágio da lactação.

COMO AJUDAR A GESTAÇÃO?

Geralmente, as éguas perdem o apetite à medida que a data de nascimento se aproxima. Isso ocorre porque o poldro ocupa cada vez mais espaço dentro da cavidade abdominal da égua comprimindo as vísceras. Portanto, , vitaminas e minerais diários necessários no menor volume possível de alimentos. Isso é alcançado melhorando a qualidade da forragem, da ração fornecida e adicionando suplementos que nos permitem colmatar essas necessidades diárias.

Nesse sentido, podemos administrar o CALPHORMIN da TRM, que dá à mãe e ao potro o melhor começo possível, pois garante que a égua receba um equilíbrio correto de macrominerais, oligoelementos e aminoácidos que passam para o recém-nascido.

Outro dos suplementos de TRM, o DCP + D3, ajuda a atender às necessidades minerais por ter uma composição equilibrada de fosfato dicálcico, carbonato de cálcio e vitamina D3.

A condição corporal da égua e a contribuição energética durante o último terço da gravidez são essenciais para garantir o crescimento e a resistência do potro que nascerá.

By | 2020-01-16T13:02:55+00:00 16 Janeiro 2020|Sin categoría|0 Comments

About the Author: